A menina o.

No Tapete

A menina o. está no tapete
De olhos fechados. Quando expira
Algo tranquilizador rodeia-lhe as mãos
Tem-nas apertadas nos joelhos.
Pode ver o que ninguém
Pode imaginar pode porém
Deslizar, sem querer, para uma gruta com
Imensos animais de um outro tempo.

Se abrisse os olhos
Com segurança brincaria à vontade
Com os animais imaginários
Se não fosse assim, a tranquilidade dissipar-se-ia
das suas mãos e o tapete
desceria lentamente pela margem
de um abismo.


Como um Pecado

A menina o. não saiu de
Casa durante três dias. Está pensativa
No tapete, bebe muito café e de vez em quando
Fuma. Se abrisse
A janela o ar gelado do exterior
Filtrar-se-ia no seu coração como um pecado.


Embrião

A caminho do cemitério uma senhora
Diz à menina o. com uma voz
Triste que Deuz a ama muito
E que a espera. A menina o. ri-se
E entra pela alameda estreita
Lendo atentamente cada epifácio

De vez em quando lembra-se
Do que lhe diz a senhora e suavemente
Leva a mão à boca para esconder o sorrizo
Agora está à frente de uma campa vazia
E continuando a olhar para baixo, pouco a pouco,
Os membros e depois todo o seu corpo poderiam tornar-se inertes
E deslizar para o buraco

No entanto lá em baixo a menina o. sentiu-se
De tal modo calma como se fosse um embrião
Num útero mole e quente.


Um jogo Novo

Quando acorda a menina o. olha-se
Ao espelho com atenção. O espelho turva-se
E reflecte uma figura redonda de uma menina
Com grandes olhos húmidos. A menina o.
Alegra-se, sorri calorosamente e pergunta

À menina como se chama. A menina leva
O dedo à boca e sussurra aos ouvidos
Da menina o. que tinha acabado de aprender
Um novo jogo mas que primeiro tinha de
Ir a casa buscar a pasta.

A menina o. leva o dedo à boca
E procura debaixo da cama. Depois de
Apenas dois minutos tira uma pasta poeirenta
E da pasta tira triunfante um
Caderno de ditados onde se encontrava escrito com letras grandes
E tortas que hoje falta à escola pela
Primeira vez porque vai aprender
Um jogo novo.


O Principezinho

O principezinho mudou-se para o prédio
Do outro lado da rua. Todas as manhãs
Observa-a com a luneta como vai ao quiosque
Comprar leite e tabaco.

Durante a noite o principezinho
Transforma-se num besoiro
E vai até ao quarto dela.
Certamente a menina o. não sabe muito bem que ele
É o principezinho mas gosta de o observar
Muito atenta quando faz alguns looping
De mestre no ar.

A menina o. acredita com toda a sua força que
Numa bela manhã deixará de
Ir ao quiosque comprar
Leite e tabaco, em vez disso irá ficar em casa
No seu quarto à semelhança do principezinho
E irão ficar juntos todo o dia
A verem com a luneta, sucessivamente,
Cada homem grande.

Traduzido por Irina Fonseca

Anunțuri

Lasă un răspuns

Completează mai jos detaliile tale sau dă clic pe un icon pentru a te autentifica:

Logo WordPress.com

Comentezi folosind contul tău WordPress.com. Dezautentificare / Schimbă )

Poză Twitter

Comentezi folosind contul tău Twitter. Dezautentificare / Schimbă )

Fotografie Facebook

Comentezi folosind contul tău Facebook. Dezautentificare / Schimbă )

Fotografie Google+

Comentezi folosind contul tău Google+. Dezautentificare / Schimbă )

Conectare la %s


%d blogeri au apreciat asta: